Vivências dos jovens da Midea Carrier influenciam na escolha profissional

Vaga para Educador Social em Sorocaba/SP
29 de julho de 2019
CMPC é nova Mantenedora Institucional da Rede Projeto Pescar
6 de agosto de 2019
Exibir tudo

     A Midea Carrier comemorou os 20 anos de Projeto Pescar na empresa em vários momentos de 2018, incluindo o Encontro de Egressos e a conquista do Top Cidadania, da Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH/RS. Para mensurar o impacto do programa na vida dos jovens foi realizada uma entrevista com 80% do público atendido nos últimos cinco anos.
    Entre os resultados, a formação de 300 jovens, sendo que, desses, 34% atuaram ou atuam como colaboradores na empresa, o incremento da renda per capita familiar de, em média, 288% após a capacitação, e a continuidade nos estudos, de 95% entrevistados, em cursos técnicos ou graduações, nas áreas em que realizaram as vivências.
     A influência das vivências na escolha profissional é resultado do trabalho realizado durante o curso. Nos primeiros meses de atividades, os adolescentes têm contato com o mundo acadêmico e realizam um teste de interesses profissionais. O resultado ajuda-os a identificar as profissões relacionadas ao seu perfil. Aliado a isso, eles vivenciam uma etapa do Sistema de Avaliação Pescar – SAP Jovem, na qual identificam as competências já desenvolvidas e as que ainda precisam desenvolver.
     O aprendizado se dá em forma de ciclos, com tempo predeterminado, ocorrendo de forma contextualizada e possibilitando ao jovem um entendimento da importância de cada atividade, o conhecimento do assunto, o seu processo e suas interligações com os conteúdos desenvolvidos. No final do ciclo o jovem entrega um relatório e apresenta o aprendizado obtido para a equipe envolvida com a sua formação. As vivências nas áreas, segundo a articuladora Vanessa Dadalt, são realizadas em forma de rodízio: “Nós fazemos uma aproximação do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) e do perfil de cada jovem com a área em que ele vai atuar. No último rodízio, ele faz a escolha e isso impulsiona o desenvolvimento de suas habilidades para fazer uma opção assertiva de seus caminhos profissionais, incentivando-os na continuidade da carreira estudantil”.
     Vanessa conta que, na conclusão dos projetos realizados ao longo do ano, cada integrante da turma é estimulado a avaliar a sua participação, ampliando o seu olhar a respeito das suas capacidades e da percepção do trabalhar e produzir em equipe, ao mesmo tempo em que reconhece o seu papel. “Ele tem de estar atento ao seu futuro, ser responsável e comprometido com suas escolhas, para ter êxito no programa. Quando ele conversa com o padrinho e o voluntário, a história de vida deles serve como um exemplo e amplia as suas perspectivas. E o amor constrói o vínculo dessa relação do jovem com todas as pessoas envolvidas na sua formação, aliado ao respeito e à transparência ”, destaca Vanessa.
     A Articuladora da Unidade, Rita Gonçalves completa: “A empresa está sempre investindo nos voluntários e na sua qualificação, traz eles para dentro da Unidade, construindo uma relação de confiança, então os colaboradores se sentem parte e isso é muito positivo para os resultados, pois todos se comprometem”.

Fotos: Jovens da turma atual, no Work Experience, momento em que experienciam na prática o que cada setor da empresa faz